quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Os muitos sofrimentos de hoje em dia

As vezes, nos surpreendemos com as pessoas que você mais conhece... mas é uma surpresa boa. Espantosa... mas boa.
Souza. Passar uma hora escrevendo sem parar? Que tipo de criatura é você? Finalmente alguém me entende? Tantas verdades e e sentimentos no mesmo post. Me deixou sem vontade de continuar escrevendo, porque sei que você vai ir lá e fazer melhor. Tu diz que eu sou a melhor escritora que você conhece, mas não sou. Está deixando passar uma pessoa bem importante. Você mesmo.
Enfim... não tem mais o que falar, porque o Gabi ja falou tudo. E até d+. Por um lado foi bom... por outro... sei lá. Nem sei mais. Eu queria falar sobre tanta coisa que ele botou no post. Queria falar sobre aquilo. O que eu senti naquela noite... mas acho que ele ja falou tudo. O resumo da vida. Da nossa vida.
Algo mudou. Mudou em mim. Mudou nele. Mudou na turma. Esta sempre mudando. Mas dessa vez a mudança foi radicalmente perceptível, e é como se isso tivesse me chacoalhado e as coisas ainda não tivessem voltado ao normal.
Como ele disse: estou parando de escrever. Me dedicando ao meu futuro. Música. Mas não sinto vontade de tocar (como ele também ja disse). E o tédio vem me consumindo cada vez mais. Dia após dia. E aquele sentimento vazio, chamado desespero? Sim. Ele vem também. Acompanhado de saudade, nos obrigando a dar adeus ás coisas que mais amamos. Estou falando da nossa turma. Aquela que me acolheu quando eu mais precisei. Aquela onde eu encontrei meus melhores amigos. Aquela que vou ser obrigada a deixar pra trás. E aquele sentimento de vazio me preenche nas horas vagas, e nessas horas vagas eu imploro por algo que me faça rir novamente. Pois eu não aguento mais passar por esse sofrimento constante.
Tudo aparenta estar bem. Aparento estar feliz. Mas o que eu mais quero é poder fazer aquilo o que eu fazia antes. Rir da vida, ser aquela que cai a toda hora, animando a galera. Nem existe mais galera. Cada um pra um lado e eu no meio. Jurando que um dia aquilo iria acabar... mas "um dia", infelizmente, é só outra forma de dizer "nunca".
Os dias estão contados. A turma não aproveita. Meu ultimo dia com eles será dia 14 de dezembro e gostaria de abraçar cada um de vocês (se não ficasse estranho). Sufocando com a ideia de ir embora e deixar de fazer o piquenique e o amigo secreto com a minha família (vocês)
Tchau pessoal, tchau sossego, tchau amigos...
Só quero dizer que... sem vocês eu não vivo... e que cada um faz parte do meu coração.

(Nanda)

1 Coments...:

Postar um comentário